Archive for the ‘Entrevistas’ Category

h1

James Marsters fala sobre Dragonball 2

fevereiro 26, 2010

James Marsters deu uma entrevista à Sci-Fi Talk, que pode ser ouvida aqui:
Embora a conversa seja muito mais sobre outros projetos do ator, eles comentaram os rumores sobre uma continuação de Dragonball Evolution.

Abaixo à tradução do que foi dito:

Sci Fi Talk: Agora, você estava em Dragonball e eu ouvi rumores sobre um “Dragonball 2.” Alguém já falou com você sobre isso?

James Marsters: Espero que sim.. Eles não têm que falar comigo. Estou sob contrato, então eu só tenho que estar pronto. Mas espero que a gente faça, porque o primeiro filme foi Dragon Ball e nesse a gente poderia começar a entrar em Dragon Ball Z. É muito mais enérgico, muito mais violento. Dragon ball é realmente mais comédia e sobre amadurecer. E Dragon Ball Z é sobre você ser forçado a lutar por aquilo que você acredita.

h1

Tânia Gaidarji comenta sobre Dragonball Evolution

março 13, 2009

Tânia Gaidarji, dubladora de Bulma, comentou sobre seu trabalho na dublagem do filme:

Bom, pessoal…acho que não há nada que eu diga que vá, de verdade, satisfazer a curiosidade de vocês.
Antes de mais nada…sim, eu gostei do filme!
Achei muito legal e fiquei emocionada por poder participar dele de alguma forma.
Mas vocês tem que entender que essa é a minha visão…muito particular. E cada um de vocês vai ter a sua própria opinião sobre o filme, óbvio.

A minha visão se baseia em alguns fatos :

Dublo a Bulma há 9 anos. Por causa dela já conheci muita gente, muitos lugares, fui a eventos de animes…ela é, talvez, a personagem mais especial da minha carreira de 16 anos de dublagem.
Eu estava muito ansiosa e curiosa pra saber se os dubladores origináis seriam mantidos…porque isso foi uma novela, e demorou muito pra gente saber o que havia sido decidido.
Então, quando cheguei hoje no estúdio, estava super feliz e empolgada por ver o filme, que é o objeto de desejo e curiosidade de tanta gente e por ver como seria colocar a voz da Bulma numa atriz de verdade….eu esperava não ter que mudar MUITO, mas fazer as alterações necessárias pra Emmy Rossum não ficar com voz de anime…
Quando a gente dubla, geralmente, cada dublador entra separado no estúdio (em dias e horários diferentes) e faz só a sua parte.
Fui a última pessoa a dublar o filme, porém nem ouvi as vozes que estavam gravadas…só mesmo um pouquinho da voz do Wendel no Goku.
Outra coisa…fiquei 2 horas e meia no estúdio, mas vi apenas as partes do filme em que a Bulma aparece !

Como eu disse, eu gostei do filme…mas gostei das partes que vi, e sei que tem um lado emocional envolvido…pq tenho essa ligação com a Bulma e com Dragon Ball.
Adorei as partes da Bulma com o Mestre Kame… ri muito !
Sei que vão gostar dessas partes !
O jeito dela conhecer o Goku tb foi diferente, mas com alguns detalhes em comum.
Era legal ficar procurando essas diferenças e semelhanças enquanto eu dublava !
Acho o Yamcha lindo no anime, mas no filme não achei…ele tava meio loiro !
A Bulma, a Chichi e o Goku estavam lindos.
O Bulma era mais séria, ela era brava de um jeito diferente do que a Bulma ( do anime ) é só “bravinha”.
Mas em todos momentos que podia, eu dava uma pitada da personalidade da Bulma que eu conheço (e que todo mundo conhece), apenas na entonação de algumas palavras, risadas…alguma ironia…
Minha preocupação era adaptar a voz da Bulma ( que faço desde o ano 2000 em DBZ, DB, DBGT…) a esta Bulma, que é gente de verdade.
E fiquei satisfeita com o resultado…fico feliz em dizer isso pra vocês, pois a Bulma não vai ter aquela voz tão fininha e ardida, mas vai ter o mesmo jeito de falar ( só às vezes um pouco mais sério, mais duro ) .

Agora…pra ser muito sincera, nem imagino como seria se o filme não tivesse os dubladores origináis.
Ia ser muito ruim, porque quer queira quer não, com tanta coisa diferente nesse filme ( história, aparência dos personagens, o fato de ser americano e não japonês…) as vozes, pelo menos, TINHAM que ser um elo com o que todo mundo já conhecia há tanto tempo.
Fizemos esse elo…vai dar todo mundopra ver e ouvir o filme se sentindo próximo de algo familiar.

Sei que vão criticar muito o filme, falar muito mal, apontar erros, diferenças…mas de qq forma, tá todo mundo louco pra ver.
Eu não me decepcionei com o que vi, pq estava aberta a uma coisa diferente do anime.

Espero, de coração, que vocês se divirtam com o filme e gostem dele com o nossas vozes…pq achariam ainda mais estranho só de ouvir a galera toda de Dragon Ball falando em ingllês !

por: Tânia Gaidarji

h1

Entrevista com Justin Chatwin

fevereiro 26, 2009

O site italiano Badtaste postou uma longa entrevista com Justin Chatwin (Goku). Confira nossa tradução abaixo:

“Quando somos apresentados à Goku, ele é um garoto inseguro, que parece tranquilo, isolado e não muito pretensioso. Em suma, é um herói improvável. Mas é um menino com um destino extraordinário e que está destinado a tornar-se um poderoso guerreiro. Embarca em uma fantástica viagem e sua missão é proteger a Terra de seres malígnos que querem dominar o mundo para os seus propósitos.”dragonballevolution03“Foi incrível conseguir este papel”, diz Chatwin. “Eu adoro o mangá, e foi muito divertido vir trabalhar todos os dias, ser um guerreiro. É como ter seis anos e estar no pátio da sua casa para combater os maus. A ação foi ótima: eu tinha que bater, chutar e voar.”

Goku deve encontrar as sete esferas do dragão. Deve encontrar todas, pois qualquer pessoa que as tenha pode realizar seu desejo, seja quem for.

O poder das esferas do dragão não é confiável. Goku começa tendo uma, a qual lhe foi confiada por seu avô em seu aniversário de 18 anos e em sua jornada ele deve dominar uma poderosa força chamada Ki. Desta forma este jovem se transformará em herói. “Justin encarna a inocência de Goku, assim como é um herói muito convincente”, diz o cineasta James Wong.

O filme está cheio da rica mitologia do mangá e os seus personagens fascinantes. Chatwin está cercado de um impressionante elenco de atores, incluindo Chow Yun-Fat na pele de Mestre Kame, o mestre que guia Goku em sua jornada, Emmy Rossum encarna Bulma, uma cientista brilhante, e James Marsters, o malvado Piccolo. Também participam do filme Jamie Chung, Eriko Tamura e Joon Park.

Dragonball foi filmado no árido deserto entre as montanhas de Durango, no norte do México, onde John Wayne fez vários dos seus faroestes. O filme foi produzido por Stephen Chow e é baseado no mangá criado por Akira Toriyama, cujo trabalho foi adaptado em vários jogos de vídeo game, romance gráfico e uma popular série de televisão. Em suma, é a animação japonesa de maior sucesso no mundo.

Justin Chatwin, 26, nasceu e foi criado no Canadá. Seus filmes incluem The Chumscrubber, O Invisível e Guerra dos Mundos de Steven Spielberg, com Tom Cruise. Ele também apareceu na popular série televisiva Lost. Seu próximo filme é Middle of Nowhere com Susan Sarandon e sua filha, a atriz Eva Amurri. Chatwin vive em Los Angeles.

Pergunta: É a primeira vez que você é a estrela de um filme. Quão emocionante foi esse papel para você?
Resposta:
É muito emocionante fazer parte de um filme divertido e para toda a família. Eu acho que temos feito justiça ao mangá original e espero que seja um filme muito bonito e encantador, cheio de ação e grandes efeitos que todos possam apreciar. ”

P: Que tipo de cara é Goku? Como o interpretou?
R:
É un pouco diferente do personagem original do mangá, porque no anime estreou como o maior guerreiro do mundo, com poderes fabulosos, mas o filme é mais a história do crescimento de um jovem, que descobre o propósito de sua vida e quem realmente ele é. Goku possui um grande arco, de um estudante colegial à salvador do planeta. Uma hora é um estudante que não consegue se encaixar, logo em seguida, está envolvido nesta jornada incrível. Goku é um símbolo de boa moral e honestidade. Ele luta pelo bem e esperança, com o objetivo de criar um lugar melhor e mais pacífico para se viver.dragonballevolution06P: Como conhecemos Goku?
R:
Quando vemos Goku pela primeira vez, as pessoas acham ele “estranho”. É cheio de dúvidas interiores e não sabe como falar com as meninas, ele apenas sabe lutar. Ele vive com seu avô e não sabe nada sobre seu passado. Então, um dia seu avô morre e Goku decide embarcar em uma viagem para se vingar dos assassinos. A última coisa que o seu avô lhe disse foi para encontrar as sete esferas do dragão, que são especiais e lendárias.

P: Ele compreende a importante tarefa que lhe foi submetida e o impacto que tem sobre o mundo?
R:
Ele não entende tudo. Começa como um cara anti-social e que está confuso, mas finalmente se torna um herói aceitando seu destino, tornando-se o personagem que os fãs estão familiarizados.

P: Você acha que os adolescentes irão se identificar com Goku, considerando que muitos estudantes se sentem deslocados?
R:
Eu acho que sim. A escola é um lugar estranho, porque há adolescentes provenientes de todas as partes da cidade que você não conhece, mas lhe dizem para tornar-se amigo deles, o que muitas vezes é difícil. Para mim, tem sido difícil, por isso penso que as crianças irão se identificar muito com este personagem como o tenho feito. Pessoalmente, eu me sentia excluído na escola. Eu era fechado, e eu achava que não era legal, e não queria fingir ser parte do grupo de garotos populares. Portanto, a escola era um pouco difícil para mim. Foi uma luta para encontrar um equilíbrio entre integração e, ao mesmo tempo continuar a ser eu mesmo. É sempre um grande desafio para os adolescentes.

P: Foi muito grande a responsabilidade de interpretar um personagem tão querido e popular?
R:
É uma grande responsabilidade, porque muitos fãs adoram o personagem e, por isso, espero que apreciem a minha interpretação de Goku. Além disso, acho que haverá uma nova audiência que nunca leu os mangás.

P: Pode descrever a aparência do personagem?
R:
Os fãs irão curtir a minha aparência, porque eu tinha o objetivo de certificar-me de que Goku pareceria com o personagem do mangá, sem ser completamente ridículo. Ele começa como um homem normal, mas no final, quando é o Goku de verdade, ele tem um cabelo incrível, com as pontas. Usei 30 latas de laquê. Não me sintia muito à vontade, porque eu não sou um grande fã de laquê.

P: Há muita ação neste filme. Foi necessário muito trabalho?
R:
A ação foi um grande desafio para mim, senti uma forte tensão quanto a isso. Eu achava que ia estragar tudo, pois não tenho a aparência de um lutador, e assim os fãs do mangá iam achar terrível. Eu estava realmente preocupado por que sou apenas pele e ossos, enquanto que Goku é o maior guerreiro do planeta. Então, eu disse pra mim mesmo que teria de ser um grander lutar e percebi que um ator como eu tem que demonstrar as emoções, a coragem em meu rosto, gostava de me expressar como guerreiro. Encontrei uma forma de fazer Goku através das minhas paixões, como o esporte. Então, canalizei esse entusiasmo e energia em combate.

P: Quais são as suas paixões desportivas?
R:
Eu praticava snowboard quando eu morava em Vancouver, Canadá. Adoro o snowboard e kiteboarding, que são duas grandes paixões para mim.

P: A parte física deve ter sido algo divertido, uma vez superadas estas preocupações, quando na realidade você é um tipo de esportista …
R:
Sim, foi fantástico. Pode-se dizer que sou viciado em adrenalina quando se trata de esportes radicais. Adoro a sensação de tentar praticar um esporte difícil, porque você tem que estar totalmente concentrado. Muitas vezes, há um momento de ruptura, quando estamos prestes a fazer algo muito perigoso e alguma coisa ruim acontece. Naquele momento, enfrentamos o perigo, eu me sinto realmente vivo, meu coração dispara, e é incrível. Eu adoro isso. Fazer um esporte que obriga você a ter cuidados intensivos, é um pouco como meditação. Se você não está concentrado, pode se dar muito mal. Descobri que as lutas neste filme tem uma semelhança, e assim se tornou uma espécie de meditação, porque eu estava realmente concentrado.

P: Pode nos descrever seu treinamento?
R:
Nós temos treinado com a empresa de dublês 87Eleven. Eles têm treinado os atores de filmes como A Supremacia Bourne, 300 e Matrix. Tenho feito um rigoroso treinamento e eles foram maravilhosos. Então, eu treinei duro, e mudei muito meu corpo. O trabalho sobre as artes marciais foi feito especialmente para o meu personagem. Todo dia eu trabalhava durante 45 minutos, descansava e, em seguida, começava a treinar para o combate. Eles começaram a ensinar o básico, socos e pontapés e, em seguida, diferentes estilos como karate, kapaweta e kung fu. Além disso, também tivemos a Capoeira, que é suave, como uma dança elegante. Então fomos ao trabalho sobre os cabos, que foi um verdadeiro desafio para mim. Trabalhamos com os cabos, que são retirados na pós-produção, por isso, parece que estamos voando. E foi difícil para mim, porque eu tinha que usar uma proteção que não era confortável.

P: Você seguiu uma dieta especial?
R:
Eu tive um rigoroso plano alimentar. Eu tive que começar a fazer seis ou sete refeições por dia. Me tiraram o açúcar e o álcool, eu não podia comer pão e massas, só carne, abacate, frutas e vegetais, bem como muitas batidas de proteínas. Foi uma dieta saudável, mas também difícil de seguir.

P: Qual foi a cena de ação mais desafiadora no filme?282eew
R: Quando eu lutei com James Marsters (Lord Piccolo), tive dificuldades. Ambos levamos socos na boca e joelhadas na àrea da virilha. Foi meio confuso e dolorido, pois ambos nos ferimos. Mas o treinamento nos ajudou muito nisso.

P: Que tipo de ferimentos você sofreu durante a filmagem?
R:
Eu quebrei o dedão do pé, fazendo um ‘giro’. Boa parte do set era ríspido. Nós estavamos no set de um vulcão, e eu tinha que fazer um movimento difícil, que incluia abaixar e rodar o pé. Foi como fazer a roda no chão. O meu polegar ficou preso em uma dessas fendas no cimento do vulcão, mas o pé continuou. O meu polegar virou e senti uma forte dor. Mas por muitas vezes eu sofri pequenas lesões durante as filmagens de um filme e não há qualquer problema.

P: Você pode falar da relação de seu personagem com Chichi, o amor de Goku, interpretada por Jamie Chung?
R:
Jamie é magnífica. Sua personagem, Chichi, aparece também no mangá. Goku é fascinado e obcecado por ela. É magnifica, uma encantadora menina que sai com os melhores atletas e a maioria dos garotos da escola. Goku não tem absolutamente nenhuma esperança de ficar ela. Mas então, Goku e Chichi se encontram nos corredores, quando ela me vê fazer algo estranho e interessante onde mostro poderes impressionantes ela me convida para uma festa. Assim, Goku abandona seu avô para ir ao encontro, em seguida, seu avô morre, assassinado por um ser malígno.

P: Como foi trabalhar com o lendário Chow Yun-Fat? Eras um admirador do seu trabalho?
R:
Eu aprendi muito trabalhando com Chow. Foi realmente fascinante e uma pessoa maravilhosa. Me ensinou tudo sobre Tai Chi. Tem um grande senso de humor e conta piadas constantemente, mas é definitivamente trabalhador, porque trabalha duro e nunca abandona o set. Tem um grande talento físico e a forma como utiliza o seu corpo é fabulosa. Creio que tudo isso provém dos filmes feitos pelo diretor John Woo. Eu sou um grande admirador do trabalho de Chow Yun-Fat e do filme do qual ele emergiu.dragon131Q: E como foi trabalhar com James Wong?
R:
James é notável. De certa forma, me faz lembrar de Steven Spielberg, com quem trabalhei em A Guerra dos Mundos. James e Steven são ambos muito doces, calmos, reservados e extremamente talentosos. Ambos são como crianças. Steven falava de como brincava com trens quando criança, fazendo-os colidir e filmava tudo. James adorava brincar com bonecos ninjas, acrescentando efeitos sonoros. Eles têm uma grande imaginação, assim como crianças.

P: Pode fazer um resumo do que, em sua opinião, é o atrativo deste filme?
R:
Eu acho que a história é fascinante, porque mostra a dualidade da humanidade, o bem contra o mal, os opostos que existem na vida e que essas forças colidem. Mas, na essência, acho que é um filme pipoca, divertido, com grandes personagens que todos podem apreciar.

Q: Você era um fã do mangá antes deste filme?
R:
Eu conhecia Dragonball, mas fiquei realmente interessado na série quando eu ganhei o papel. Eu assisti na televisão quando eu era mais jovem com o irmão mais novo do meu amigo, que era um grande fã. Creio que se tornou realmente popular para a geração que veio depois de mim, mas eu sempre achei magnífico. Obviamente, eu nunca teria sonhado de estar envolvido com um filme de Dragonball, mas desde que eu comecei a trabalhar tenho visto cada episódio da série televisiva. Agora, estou fascinado e obcecado por este fenômeno.

P: Como você mesmo disse, você trabalhou com Steven Spielberg e outros diretores. Como você está inspirado? Essas experiências lhe deram confiança?
R:
Eu não acho que um artista está sempre confiante e, para ser honesto, eu provavelmente sou a pessoa mais insegura que conheço, embora provavelmente todos nós somos. Acho que ser um ator te faz inseguro, porque não há nada estável nesta vida. Penso sempre que este poderia ser o último filme que eu faço (risos). Poderia realmente acontecer, porque em Dragonball: Evolution vou daqui pra lá vestido de laranja, por isso não sei o que vai acontecer ou o que as pessoas vão pensar. Não me sinto confiante, mas eu gosto muito de trabalhar com grandes diretores. Adoro atuar em filmes como este e interpretar papéis interessantes.

P: Observadores da indústria cinematográfica o descrevem como uma estrela em ascensão e estão sempre de olho. É excitante? E quais são seus objetivos?
R:
Minha carreira é muito emocionante e eu adoro o que faço. Quanto aos objetivos, penso que a história é realmente uma parte importante da nossa cultura. No passado, as pessoas se sentavam ao redor do fogo e os xamãs da tribo contavam histórias que eram uma parte essencial da vida quotidiana. Creio que agora o cinema é uma das últimas coisas que nos une e nos afasta da tecnologia representada pelos nossos telefones celulares e afins. Com o cinema, escapamos até uma caverna escura por um par de horas, enquanto vemos as imagens e ouvimos os sons provenientes da tela. Estas são as nossas histórias, por isso, se vou ter sucesso e receber mais propostas após esse maravilhoso filme, eu gostaria de ler e talvez criar minhas próprias histórias pessoais. As pessoas têm me dado oportunidades maravilhosas e quero dar algo de volta.

h1

Novas Scans Shonen Jump

fevereiro 19, 2009

page-1(Clique para ampliar)

SJ: Quando você interpreta Lord Piccolo, o que mais te preocupa?
James Marsters:
Quando penso em Piccolo, a palavra que me vem à cabeça é solidão. Eu sempre lembro de Piccolo flutuando sobre uma linda paisagem, mas ele nunca está olhando a paisagem. Está sempre olhando seus pés e meditando. Isto, mais do que qualquer coisa, é o Piccolo para mim, e o que ele medita é sobre vingança. Estou interpretando Piccolo como um cara que esteve aprisionado por muito tempo, onde não havia espelhos. Ele finalmente escapa após 2000 anos, se olha no espelho e vê que está velho, decrépito e fraco. Ele despreza à si mesmo, e odeia os místicos por terem o aprisionado e roubado sua juventude. Nesse momento, ele quer matar os místicos, suas famílias, a cidade e o planeta que eles protegem. Tudo gira em torno de vingança.

SJ: Então como é interpretar Goku?
Justin Chatwin:
Primeiro de tudo, quero dizer que me sinto honrado de interpretar esse personagem, por ele representar uma figura tão mítica e importante – ele representa boa moral, uma nova esperança. Ele também me influencia, por ser um cara que sempre toma a iniciativa, sempre olhando o lado positivo das coisas, e sempre tentando fazer o bem e proteger os fracos.

SJ: Se você tivesse todas as esferas, o que você pediria?
Chow Yun-Fat:
Eu pediria… Eu pediria.. Um desejo ou sete desejos? [Risos] Eu desejaria que vivessemos em um ambiente muito limpo. Sem guerra, um unico país. Não importando nossa cor, viveríamos uma situação bem harmoniosa.

SJ: Quão desafiador é para você interpretar uma personagem como Bulma?
Emmy Rossum:
É simplesmente emocionante para mim. Sou uma grande fã da personagem. Sua personalidade é corajosa, forte, sexy, arrojada e determinada. É descrita como a garota mais inteligente em todo o mundo. Quero manter o núcleo de sua personalidade – sua inteligência, seu ímpeto, e também um pouco de seu temperamento birrento de adolescente.

page-2(Clique para ampliar)

O primeiro set que visitamos foi o Templo do Dragão. Goku e Lord Piccolo estão se encarando com uma gélida intensidade durante a filmagem de um confronto que dá início à sua épica batalha final. Primeiro, para responder sua pergunta mais importante: Sim, o cabelo de Goku é espetado, além da capacidade humana. De fato, seu cabelo pode carregar mais poder do que seus bíceps combinados. Embora a lua não tenha aparecido, não há sinal de cauda, então não vamos tirar conclusões quanto à possibilidade de Goku.. ficar peludo. Enquanto isso, Lord Piccolo, tem um tom verde em seu visual, mas não é seu verde costumeiro. Enquanto vocês lêem isso, os designers digitais terão terminado sua mágica e feito de Lord Piccolo o cara vilão mais verde do universo. A pergunta é, o que ele irá pedir quando reunir todas as sete esferas do dragão?

page-3(Clique para ampliar)

Nos arrastamos até as tendas para escapar do sol desértico. A cada 15 minutos, um dos atores se unia a gente para falar do poder de Dragonball: Evolution. Soubemos que Justin Chawin irá passar o senso de humor brincalhão de Goku (sem mencionar seu famoso apetite). Vimos que Chow Yun-Fat tem um pouco da confiança de Mestre Kame.. e que Mestre Kame ainda gosta muito de garotas. Emmy Rossum nos ganhou com sua beleza e charme, nos convencendo de que pode interpretar Bulma, ou qualquer pessoa que ela quiser. E James Marsters nos revelou que a história de Dragonball: Evolution é o “melhor treinamento para se tornar um homem.” Os atores foram todos amáveis com seu tempo. Inclusive, pegamos Chow Yun-Fat lendo a SHONEN JUMP – sabíamos que ele era um fã!

page-4(Clique para ampliar)

Continuando, adentramos uma fábrica abandonada de jeans onde alguns eram guardados alguns sets e veículos. O caminhão de Yamcha e a moto de Bulma estão próximos, pedindo para serem pilotados, mas não tivemos a chance. SJ conversou com todos conectados ao filme – do diretor e produtor ao diretor de arte e coordenador de dublês. Vimos protótipos do Gi laranja de Goku e camisetas havaianas de Mestre Kame, e esboços do Oozaru, que são espantosamente geniais. Se você não sabe quem é o Oozaru, vamos dizer que provavelmente você queira esconder suas bananas. Que bom que eles não tem o dragão Shen Long em CGI para nos mostrar ainda – não suportaríamos muito mais coisas impresionantes a esta altura.

Espadas, Esferas e mais coisas impressionantes.
Diretor James Wong nos falou das câmeras Phantom, que capturam mil imagens por segundo, e ajudam a tornar as cenas de luta tão excepcionais quanto precisam ser. Saímos da fábrica para uma última parada conforme o sol se escondia atrás das montanhas e o frio vento desértico se levantava. O coordenador de acessórios nos mostra alguns itens geniais do filme, incluindo espadas pertencentes à Piccolo e aos monstros Fu Lum (espere só até vê-los), junto com o Radar do Dragão de Bulma. Atrás destes, está o mais importante de todos – a Esfera do Dragão. Nós a seguramos firme e imaginamos tendo todas juntas… mas espere, nosso desejo já se tornou realidade. Quando o filme estrear, o seu também se tornará.

h1

Roteiro da seqüência já está escrito?

fevereiro 18, 2009

Sci-FiNow conversou com Justin Chatwin (Goku) que contou para eles que a seqüência de Dragonball Evolution já esta devidamente escrita.

Dragonball Evolution, a primeira adaptação em live-action do popular mangá, não chegou as telas ainda, mas o roteiro para uma possível seqüencia já está devidamente escrito, de acordo com justin Chatwin, que interpreta Goku no filme que está por vir.

Falando com Sci-FiNow mês passado, o ator de 26 anos disse que ele assinou para possíveis sequências e que ele está excitado com a perspectiva: “Se houver uma seqüência eu acho… bem, eu sei que isto deve ir a um lugar realmente interessante, porque eles já tem o roteiro devidamente escrito.” Quando pressionado por detalhes, Chatwin revela um pouco mais sobre a direção da versão celulóide da franquia. “Isto é muito, muito legal. O segundo vai mais a fundo de todo legado e da genealogia de Dragonball. Este vai mais profundamente dentro da serie real de Dragonball, o tipo de mundo intergalático de Dragonball.”

DBthemovie.com recebeu uma informação similar mais antecipada por um coletor. O título experimental para este suposto roteiro era Dragonball Reborn, mas evidentemente a informação ainda não é confirmada

h1

James Marsters fala sobre seu papel no filme

fevereiro 18, 2009

No dia 15 de Fevereiro, o ator James Marsters (Lord Piccolo) compareceu ao Your Funny Valentine, onde houve uma sessão de perguntas e respostas. Segue abaixo (em português) o que Marsters falou sobre o filme:

Eu tenho um filho e nós assistimos Dragon Ball pelos últimos cinco anos hunm, desde que ele tinha cerca de seis ou sete anos. Acho que o primeiro DVD que comprei foi uma experiência estranha pois é quando meu personagem, Piccolo, está parado (algo como… olhando o deserto?). Um garotinho aparece, é o filho de seu antigo inimigo, que agora está morto, e ele imploro pra ser treinado. O garotinho aparece “Me treine.” “Vá embora garoto, está me incomodando.” “Me treine. Meu pai está morto. Me treine.” “Okay.” Esse minúsculo garotinho, ele está dando uma surra nele. Então ele pega o garoto e o chuta pra cerca de vinte metros do chão. Ele voa, soca o garoto de volta pra baixo. O garoto atinge o chão. Boom! Fumaça espessa. Fissuras de granito sob a cabeça do garotinho. Piccolo voa de volta para baixo e diz, “Essa é sua primeira lição.” Então, estou vendo isto e eu estou pensando, meu filho tem sete anos, “o que estou fazendo?” E então o garoto, um close no garoto. E seu rosto está sangrando e todo machucado e seus olhos inchados e fechados e ele começa rir. Tipo, eu te fiz fazer o que eu queria que você fizesse. E eu pensei, uou, agora isso que é uma surpresa. Meu filho ficou feito louco. Basicamente, isso me ajudou a criar meu filho. Eu me sinto como o personagem principal, Goku, é realmente um exemplo perfeito de homem.

Eu meio que devo dizer que um homem é um aplicador de paz. O que ele quer é paz e sossego e se … ele irá usar de violência se necessário, mas essa será sua última opção. Considerando que um garoto criará o caos e tentará provar a si mesmo. Então você tem Goku, e Goku é um cara humilde, calmo, bobo, pateta e que, se tiver chance sairá olhando flores e insetos e brincando com seu filho. Mas Deus lhe ajude se você colocar em risco a família dele. E eu acho que temos uma cultura mais militarizada. e nós tendemos a pensar em nossos heróis e homens, como caras grandes e musculosos. Eu vejo um cara como esse e eu só quero derrubá-lo. Porque esse é o cara que nunca foi a uma luta. Caras que estiveram em brigas, não querem estar lutando, porque isso dói. Então, eu estava realmente animado para ir à audição, e quando eles me deram o papel fiquei animado. Mas eu não sabia se era o cara certo. Não via uma conexão. O diretor, depois com o tempo eu fui ao set. Me senti como se eu fosse o único na terra que poderia interpretar esse papel. E ainda me sinto assim.

Sobre ser verde:
Na verdade, para mim, foi um pouco diferente, porque não foi fácil ficar verde. Houve um desacordo sobre como meu personagem deveria ser. E eu me desliguei. Eu argumentei veementemente para ser verde. Eu disse a todos que nossas carreiras estariam acabadas se eu não fosse verde. Não estou fazendo uma ameaça, e não vou fazer nada de errado, eu vou cair com você,s e eu vou ser o primeiro a cair em falência. Quero dizer, se você fizer o Superman, ele tem de ter uma capa. Se você fizer Spock, ele tem de ter orelhas pontudas e se você fizer Piccolo ele tem de ser verde! Então, não, logo que eu estava verde eu fiquei feliz.

Fonte: DBMB

h1

Entrevista: Justin & Emmy em programa japonês

fevereiro 13, 2009

Justin: Para mim foi… Creio que Goku é alguém que… Ele está em seu elemento (lutando).. Ele sente… Ele não sabe quem é se não estiver lutando. Esse é o Goku em poucas palavras. Ele ama isso (lutar), então eu só tinha que..Sabe.. Quando estava em ação, lutando… Justin não é um grande lutador, mas para mim, eu tinha que aproveitar o movimento, curtir estar fazendo aquilo, sabe. E eu adorei o estilo que a 87Eleven trouxe ao filme.. Foi excitante… O desfrute de lutar, e ser rápido, pois os lutadores que admiro, lutadores como Bruce Lee, que não eram os caras mais ‘grandes’, mas eram rápidos, ágeis, e graciosos em seus movimentos.

Emmy: Para mim, a relação entre Goku e Bulma, como eles começam com um pouco de aminosidade, e eles se tornam amigos e aliados, e lutam juntos, em vez de um contra o outro. Ela é uma garota forte, inteligente, divertida, sexy, e gosto de como ela pode inspirar a outras garotas como uma forte lutadora.